Vitralizado

Posts com a tag Gibiteria

HQ

Valeu, Gibiteria!

Eu nunca morei em uma São Paulo sem a Gibiteria. Mudei pra cá em março de 2010 e a loja de quadrinhos da Praça Benedito Calixto foi inaugurada em dezembro de 2009. Na época, eu não conhecia quase ninguém na cidade, estava atrás de emprego e as minhas idas à loja serviam como um bom escape enquanto tentava colocar a vida nos eixos. Foi lá que vi pessoalmente, pela primeira vez, vários ídolos de infância, presenças constantes nos eventos organizados pela Aninha e o Seu Octávio.

Passei a frequentar mais assiduamente a loja em 2011, quando já trabalhava no Estadão. Eu cobria cinema no jornal, não tinha o blog e o meu espaço pra escrever sobre HQs era limitado. Numa das primeiras deixas pra falar sobre gibis, fiz um breve perfil da loja e do Seu Octávio pro Divirta-se, suplemento semanal com a programação cultural de SP. Escrevi sobre as origens da Gibiteria e a diversidade de títulos à venda (reproduzo a página com o texto no pé do post).

Passei um ano fora, morando em Londres, e a Gibiteria foi uma das minhas primeiras paradas na volta a São Paulo. Lembro de uma tarde por lá no final de 2014 com a Aninha me colocando em dia o que eu havia perdido e o que ela considerava mais ou menos obrigatório para ser lido de imediato. Um tempo depois, fui convidado a mediar alguns eventos da loja e participei de conversas com Felipe Nunes, João Montanaro, Tobias Daneluz, DW Ribatski, Thiago Souto, Wagner Willian e Gidalti Jr. Também lancei por lá o trabalho da Bárbara Malagoli pra Série Postal.

A notícia do encerramento das atividades da loja deve ser muito lamentada e refletida. É sintomático que ela esteja fechando no ápice desse relacionamento cada vez mais promíscuo e nefasto entre produtores de conteúdo sobre quadrinhos e a Amazon. A Gibiteria sempre foi um ponto de encontro, um espaço de reflexão e de troca de ideias, não apenas um ponto de venda. Deixo aqui o meu muito obrigado ao Seu Octávio, à Aninha, ao Guilherme e à Gibiteria. Foram oito anos incríveis.

HQ

6ª (2/3) é dia de bate-papo com Wagner Willian e Thiago Souto em São Paulo

Ei, tem programa pra próxima sexta-feira, dia 2 de março? Caso esteja em São Paulo recomendo um pulo na Gibiteria, a partir das 19h. Estarei por lá pra mediar uma conversa com os quadrinistas Thiago SoutoWagner Willian, autores de Labirinto (Mino) e O Maestro, O Cuco e A Lenda (Texugo). As obras mais recentes dos dois estiveram entre as publicações mais badaladas do final de 2017 e presentes em várias listas de melhores lançamentos do ano passado. Também noto certo diálogo em relação aos dois títulos, não só pela qualidade da arte e do roteiro, mas pelas tramas e a dinâmica de produção dos livros. Enfim, pretendo abordar um pouco disso tudo na conversa. Apareça! A Gibiteria fica no número 158 da Praça Benedito Calixto e você confere outras informações sobre o bate-papo com sessão de autógrafos lá na página do evento no Facebook. Vamos?

HQ

DW Ribatski lança a HQ Veículo na Gibiteria na 6ª (9/6), a partir das 19h30

O quadrinista DW Ribatski lança sexta-feira (9/6) na Gibiteria aqui em São Paulo a HQ Veículo. Estarei por lá pra bater um papo sobre o quadrinho com o autor a partir de 19h30 e logo em seguida rola uma sessão de autógrafos. Já li a obra e achei bem interessante. A sinopse produzida pelo próprio autor diz o seguinte: “Jonas, um funcionário padrão de uma firma padrão, seguindo sua rotina diária, volta do trabalho para encontrar em seu apartamento uma desconhecida, nua. Não bastando essa estranheza, a misteriosa visitante é dotada de seios gigantescos que vertem mel”.

Bati um papo rápido com o autor do quadrinho pra ele falar um pouco sobre as origens do projeto e pra adiantarmos um pouco da conversa que rola na Gibiteria. A página do evento, com todas as instruções de como aparecer por lá, você confere aqui. A seguir, você lê a entrevista curtinha que fiz com Ribatski:

screen-shot-2017-06-06-at-14-40-08

Como surge a ideia de Veículo?

Hmm, essas idéias ficam pairando no ar um tempo até começarem a se concretizar sozinhas, adquirem a forma de uma narrativa. Esta especificamente creio que surgiu a partir da questão do desejo. Sobre a estranheza dele refletindo no mundo externo, sobre a luta a partir dele pra se entender sua própria persona. Desejos sempre trazem algum tipo de história anexada. Segredos do inconsciente.

No evento de lançamento você lista alguns dos temas que o quadrinho aborda a partir do filtro do realismo fantástico. Tem alguma outra obra de realismo fantástico que de alguma forma diáloga de forma mais enfática com Veículo?

Sim, gosto dessa coisa que tem a ver com o surrealismo, mas que se propõe a ser (um pouco) mais verossímil. Permite chegar mais próximo a idéias e sensações que são abstratas demais pra serem explicadas literalmente. Alguma obra minha você diz? La Naturalesa talvez. São HQs que eu posso me perceber no papel de leitor. Algumas pessoas vão simplesmente taxar como surreal, e vale, com certeza, mas na minha visão elas se diferenciam desse gênero e se aproximam do realismo fantástico pelo tipo de espaço de significação que sugerem ao leitor.

São climas muito distintos, mas o drama do protagonista me lembrou de problemas vividos por personagens principais de filmes como Her, A Garota Ideal e até algo de Encontros e Desencontros. São questões muito relacionadas ao ser humano moderno preso a um rotina de trabalho que acaba buscando por alguma forma de escape. Você vê esse diálogo?

Certamente. Eu adoro esse ‘arquétipo’ do trabalhador ‘comum’ que vive, por uma consequência natural da sua cultura, uma rotina proletária em um loop massacrante e, ao mesmo tempo, inócua. Pessoas cujo desejo tende a ser de horrendo e secreto a inerte e sem função. Gosto quando o ‘escape’ que você chama, é algo que não buscaram, que cai na cara deles, uma espécie de missão aparvalhada.

screen-shot-2017-06-06-at-14-55-03

screen-shot-2017-06-06-at-14-56-20

HQ

Hoje, 19h30, na Gibiteria: bate-papo e sessão de autógrafos com Felipe Nunes, João Montanaro e Thobias Daneluz

Ei, anima dar um pulo na Gibiteria mais tarde? Estarei por lá pra mediar uma conversa com os quadrinistas Felipe Nunes, João Montanaro e Thobias Daneluz. Acho um papo promissor principalmente pelo fato dos três estarem lançando projetos novos, com origens e propostas bem distintas. O Nunes acabou de publicar O Segredo da Floresta, o Daneluz lançou Zoom e o Montanaro publicou Eu Não Me Arrependo de Nada!. O Seu Otávio lá da Gibiteria já me avisou que a conversa não pode passar das 21h pra todo mundo trocar uma ideia com os quadrinistas na sessão de autógrafos depois do papo. Então chega às 19h30 na Praça Benedito Calixto que a ideia é começar na hora. As instruções pro evento tão aqui. Inté!

HQ

Um encontro com Fábio Moon, Gabriel Bá e Gustavo Duarte na Gibiteria

O evento já é bem promissor, mas aí o pessoal da Gibiteria me ganhou fácil com esse cartaz aqui em cima. O Fábio Moon, o Gabriel Bá e o Gustavo Duarte estarão lá na loja da Praça Benedito Calixto amanhã, 5ª (22/9), a partir das 19h30 pra conversar sobre quadrinhos e depois ficarão por conta de uma sessão de autógrafos. Gosto muito de eventos do tipo, principalmente quando não são pautados especificamente por um lançamento ou algo quente, acho que o papo flui ainda mais. Certeza que sai coisa boa daí. Recomendo.