Vitralizado

Posts com a tag Retrospectiva Vitralizado 2017

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Diego Gerlach, Nóia, Arracém, Know Haole e Pirarucú

É difícil achar um quadrinista tão prolífico em 2017 quanto Diego Gerlach. Nos últimos 12 meses ele publicou Nóia, pela Escória Comix; Arracém, da coleção Ugritos; duas edições de sua série pessoal Know-Haole; uma HQ na coletânea Cavalo de Teta; e o zine Pirarucu, encartado na revista Baiacu. Todas as publicações excelentes e cada uma delas investindo em histórias e enredos completamente distintos – mas todas compondo o que parece ser o “Gerlachverso”, chamado pelo artista de “Gilsoverso”. Estou ansioso pelos trabalhos do artista em 2018.

>> Você leu sobre os trabalhos de Diego Gerlach em 2017 aqui, aqui, aqui e aqui.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Ugra Fest 2017

Antes de tudo, acho sempre bom lembrar, eu trabalhei na assessoria de comunicação do Ugra Fest 2017. Ainda assim, mesmo envolvido com a organização do evento, acho possível dizer que o festival foi o grande encontro de HQs autorais e/ou independentes no Brasil em 2017. Na ausência do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos), adiado para 2018, houve uma grande concentração de trabalhos interessantes, artistas de peso e debates enriquecedores no evento realizado em julho no SESC Belenzinho em São Paulo.

>> Você leu sobre a Ugra Fest 2017 no Vitralizado aqui, aqui, aqui e aqui.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Corrida no Catarse

Foi impressionante a quantidade de projetos de quadrinistas experientes e consagrados buscando financiamento coletivo no Catarse em 2017. Em determinado momento do segundo semestre do ano estavam em campanha para bancar seus projetos autores como Davi Calil, Júlia Bax, Luciano Salles, Lélis e Bianca Pinheiro. Tenho visto um interesse cada vez maior por parte dos autores pelo controle completo de toda cadeia produtiva de seus trabalhos, da produção à distribuição. Ao mesmo tempo, fico com a impressão que a proximidade entre Amazon e editoras nacionais tem relegado títulos nacionais a segundo plano e ampliado o investimento em títulos estrangeiros – mais práticos de serem editados e possivelmente mais atraentes para o grande público. Enfim, fico curioso para saber se essa leva de autores consagrados e mais experientes em busca de independência é uma tendência ou uma fase de exceção…

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Bruno Maron, Ricardo Coimbra e Os Limites do Walmor

Já está virando tradição: após o lançamento do hilário Tragical Misery Tour no final de 2016, Bruno Maron e Ricardo Coimbra publicaram em 2017 a excelente parceria Os Limites do Walmor. O zine é a coletânea de humor mais engraçada do ano e mais uma prova que os dois autores são dos melhores cronistas da atribulada realidade brasileira e possuem os melhores texto do país – e isso independentemente de gênero. São dois frasistas, herdeiros de primeira linha de Millôr Fernandes.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Os quadrinhos da DarkSide Books

Já comentei por aqui sobre como o lançamento de Meu Amigo Dahmer deu início de forma memorável ao selo de quadrinhos da DarkSide Books. No entanto, o álbum de Derf Backderf não foi o único grande título publicado pela editora. Além de lançamentos divertidos, como Wytches, Atomica e Creepshow, pelo menos outras duas publicações da DarkSide estão entre as mais inesperadas e elogiáveis de 2017: o clássico Black Hole, de Charles Burns, e a coletânea Fragmentos do Horror, de Junji Ito. E vale lembrar a promessa de mais três álbuns de Charles Burns a partir de 2018 – El Borbah, Big Baby e Skin Depp. Estarei de olho nesse catálogo e recomendo o mesmo procê.

>> Você viu posts sobre a DarkSide Books aqui, aqui, aqui e aqui.

HQ

## Retrospectiva Vitralizado 2017 ## Comic Con Experience 2017

A Comic Con Experience não é um evento exclusivamente dedicado a quadrinhos, mas desde seu surgimento em 2014 mudou em definitivo o calendário de lançamentos da cena brasileira de HQs. É impressionante o volume de publicações lançadas durante o evento anual realizado em São Paulo e não foi diferente em 2017. É impossível dar conta de todas as HQs que chegam às lojas especializadas nas semanas seguintes à convenção e tenho certeza que muita coisa interessante acaba passando batido em meio a essa avalanche de novas obras.

>> Listei 10 HQs lançadas na CCXP 2017 aqui.