Vitralizado

Posts com a tag Laje

HQ

Hoje (2/11) é dia de Feira Breve em SP

Tá em São Paulo no feriado? Uma dica boa de programa pra hoje (2/11) é a Feira Breve lá na Laje. O evento é dedicado à venda de originais de quadrinhos e ilustração, rola das 14h às 19h e vai contar com a presença de muita gente massa, saca a lista completa de participantes no pôster aqui em cima. Você confere outras informações sobre a feira lá na página do evento no Facebook. A Laje fica no número 1494 da Rua João Ramalho em Perdizes. Anima?

HQ

ROUBE ESSAS MÃOS!: uma oficina sobre plágio com Gabriel Góes e Diego Gerlach

Saca que demais esse curso que o Gabriel Góes e o Diego Gerlach vão dar na Laje aqui em São Paulo no dia 3 de novembro. A oficina foi batizada de ROUBE ESSAS MÃOS! e consiste em um encontro de cinco horas com os dois quadrinistas sobre o que eles chamam de “bom e velho plágio”. Segundo a página do evento no Facebook, Góes e Gerlach “desenvolveram uma oficina que emprega a cópia (de modo ao mesmo tempo discreto e ostensivo) para gerar material inédito”. Promissor, hein?

O Gerlach e o Góes assinam três das minhas HQs preferidas de 2017 (Nóia, Arracém e Soco™ – Volume 1) e são dos quadrinistas mais interessantes e prolíficos da cena brasileira de quadrinhos e poucos cursos instigaram a minha curiosidade nos últimos tempos quanto esse dos dois. Recomendo um pulo lá na página da oficina no Facebook pra saber mais sobre o evento (a matrícula custa R$220 e as inscrições devem ser feitas pelo email [email protected]). Segue o serviço completo da oficina e a proposta do encontro:

ROUBE ESSAS MÃOS!
Oficina com os quadrinistas Gabriel Góes e Diego Gerlach
03/11 (sexta feira pós feriado de Finados)
Duração: 5 horas (15h-20h)
Valor: R$ 220 (indique umx amigx e cada um paga R$200)
Inscrições: [email protected]
Objetivo: Ensinar a qualquer aluno o segredo dos mestres – o plágio.

Góes e Gerlach são dois dos quadrinistas mais prolíficos da geração de HQ brasileira pós-2010, e ambos empregam abordagens diversas e flutuantes para cada uma de suas HQs. Talvez a mais empregada e prestigiada por ambos é o bom e velho plágio.

Inspirados em uma fala de Jack Kirby sobre a prática (anexada ao fim desse sumário), G&G desenvolveram uma oficina que emprega a cópia (de modo ao mesmo tempo discreto e ostensivo) para gerar material inédito.

Com uma breve apresentação de precedentes históricos em slideshow (incluindo material dos próprios autores, além de ‘O curioso caso de quando Zé Carioca e Pateta eram chapas’ [uma análise do uso de apropriação ‘sancionada’ nos primórdios de um dos personagens mais populares do quadrinho nacional]), os alunos da oficina tomarão contato NA PRÁTICA com um método rico para se entender os fundamentos da narrativa em cartum. Como reduzir a informação visual a seu essencial, contando uma história da maneira mais sucinta possível, e como isso se relaciona com seu gerenciamento de tempo ao criar uma HQ.

“Se você é um indivíduo competitivo e quer se firmar nesse campo: não há escola. Você faz sua própria escola. Você cria sua escola. Quero dizer que você pega emprestado braços, pernas, cabeças, pescoços e traseiros de todo mundo que puder. Nos quadrinhos, que são um campo peculiar, cada sujeito – cada artista – é o professor de outro artista. Não há escola nenhuma pra isso. Podem te ensinar a mecânica por trás do negócio, o que é bom. Vejo mérito nisso. Mas desenhar um bom desenho não te faz um bom artista. Posso te dizer dez sujeitos, logo de cara, que desenham melhor que eu. Mas não acredito que o trabalho deles obtenha tanta resposta quanto o meu. (…) Não é a técnica, é o indivíduo. (…) Como sempre digo, uma ferramenta não tem vida. Um pincel é um objeto inerte. É o sujeito. Se você quer fazer, você faz. Se acha que um cara desenha o tipo de mãos que você gostaria de desenhar, roube-as. Pegue essas mãos pra você. (…) Tudo que o sujeito tem nesse campo é pressão, e acho que a pressão fornece um estímulo. Você tem seus próprios stresses; eles vão suprir seu estímulo. Se você quer fazer, você vai fazer. E vai fazer do jeito que puder”, Jack Kirby, 1970

HQ

Suspensão de Bom Senso: estão abertas as inscrições para a oficina de quadrinhos de humor com Ricardo Coimbra e Bruno Maron na Laje

Dois dos meus quadrinistas preferidos vão dar uma oficina sobre HQs de humor na Laje aqui em São Paulo no próximo mês. As inscrições pro curso Suspensão de Bom Senso do Ricardo Coimbra e o Bruno Maron estão abertas lá na página da Laje. O evento rola nos dias 16 e 17 de setembro, das 14h às 19h. A matrícula custa R$380. Segundo os organizadores da oficina, não é necessário “saber” (aspas deles) desenhar, apenas ter vontade de desenhar e escrever besteira. Recomendo um pulo na página do curso no Facebook. Ó a sinopse das aulas:

“Trabalhando e entendendo o humor nessa era surreal que vivemos. Curso teórico e prático com dois gênios do humor contemporâneo: Ricardo Coimbra e Bruno Maron, que se realizará em um final de semana:

– O riso segundo Bergson
– Moral x Ética
– Millôr e o anticlímax intelectual
– Exibição da realidade confundida com endosso
– O riso na era da hipersensibilidade progressista
– George Carlin e o registro do inconfessável”

HQ

Dois eventos sobre quadrinhos na LAJE: Clube do Desenho #01 (com LoveLove6 & Lucas Gehre) e zine-oficina com Fábio Zimbres

Tá bem massa a programação de eventos sobre quadrinhos da LAJE aqui em São Paulo, hein? Dois deles, legais pra caramba, estão marcados pra rolar nos próximos dias – sendo um deles de graça. Na 5ª agora, dia 16, entre as 19h e 23h, rola a primeira edição do Clube do Desenho, com a presença de Lucas Gehre e da LoveLove6. Segundo os organizadores, a ideia do encontro é não só desenhar, mas criar um espaço para troca de experiências entre os artistas  e o público presente. De graça, é só ir. Dá uma sacada na página do evento no Facebook.

O outro evento bem promissor, marcado pros dias 25 e 26 de março, é a criação da Revista Troglo 01, um zine-oficina com o gigante Fábio Zimbres. Lá na página de inscrição do evento diz que a publicação será o projeto final da oficina. A matrícula sair por R$300 e pode ser feito no site da Laje.

laje1