Vitralizado

Posts com a tag Robert Zemeckis

Cinema

As artes conceituais de John Bell para o Hoverboard de De Volta Para o Futuro – Parte II

A proximidade do dia 21 de outubro de 2015, quando Marty McFly chega ao futuro na série De Volta para o Futuro, está resultando na divulgação de várias artes conceituais inéditas produzidas para o filme de Robert Zemeckis. No final do ano passado, a Newsweek publicou ilustrações produzidas por Tim Flattery e Edward Eyth para a Hill Valley do futuro. Agora foi a vez da Fast Company publicar um conteúdo ainda mais sensacional: as ilustrações do artista John Bell para o Hoverboard e a gangue de Griff Tannen. Vale muito a leitura do texto original. Bell recebeu apenas a encomenda de criar o visual para algo já batizado de Hoverboard e imaginar uma Hill Valley que deu certo, mais bonita que sua versão de 1985, contraponto aos centros urbanos distópicos de algumas ficções científicas dos anos 80. Dica sensacional do Jairo (valeu!). Ó que demais:

Continue reading

Cinema

As artes conceituais de De Volta Para o Futuro – Parte II

Poucos filmes receberão tanta atenção em 2015 quanto De Volta Para o Futuro – Parte II. Como meio mundo já deve ter te lembrado no dia 1º de janeiro, finalmente chegamos ao ano em que Marty McFly chega no futuro. Num dos grandes feitos relacionados à data, a Newsweek conseguiu algumas artes conceituais inéditas feitas pelos artistas Tim Flattery e Edward Eyth pra produção do Robert Zemeckis. A maior parte do material passou os últimos 25 anos guardada com os artistas, ainda jovens e pouco experientes na época que foram contratados para trabalhar no filme. A história completa tá no site da Newsweek. Saca só que pérolas essas artes:

DV

DV2

DV3

DV4

DV5

DV6

DV7

DV8

DV9

DV10

DV11

DV12

DV13

Cinema

O Voo

Escrevi sobre O Voo pro Divirta-se.

Bastam cinco minutos de O Voo para você ter certeza que não gostaria do capitão Whip Whitaker (Denzel Washington) como piloto do seu avião. Ele acorda após uma noite mal dormida na companhia de uma comissária de bordo, bebe os restos da cerveja quente e cheira uma carreira de cocaína. Em seguida, assume o comando de uma aeronave que vai de Orlando a Atlanta. E a viagem proporciona ao espectador uma nova percepção do personagem: com uma manobra arriscada e um pouso forçado, ele salva a vida de 96 dos 102 passageiros.

O cenário retratado no primeiro terço deste filme de Robert Zemeckis (de ‘O Náufrago’) é arrepiante. A tensão criada pela postura do aviador é mínima se comparada à sequência de queda da aeronave. Whitaker é a única fonte de segurança para os passageiros – e para o espectador. O problema é que o clima não se mantem até o fim e o filme vai de um thriller emocionante a um melancólico drama sobre alcoolismo.

Apesar disso, o trabalho notável de Denzel Washington (indicado ao Oscar de melhor ator) como um homem assombrado por seus feitos e a presença de ótimos coadjuvantes evitam um desenrolar tedioso para ‘O Voo’ – que também concorre ao Oscar de melhor roteiro. Após o acidente, o piloto passa a conviver com uma viciada que conheceu no hospital e com o medo de ter a alta taxa de álcool e drogas em seu sangue diretamente relacionada à tragédia. Um advogado (Don Cheadle) tenta afastar Whitaker de problemas, enquanto um amigo traficante (John Goodman) mantém os vícios bem abastecidos.

Desde 2000, quando lançou ‘Náufrago’, Zemeckis dirigiu três animações infanto-juvenis. Seus trabalhos prévios são lembrados pelo bom humor. A trilogia ‘De Volta para o Futuro’, ‘Uma Cilada para Roger Rabbit’ (1988) e ‘Forrest Gump’ (1994) são filmes muito bem resolvidos em relação às suas abordagens. Como uma tensa história de ação, ‘O Voo’ cumpre seu papel ao longo dos primeiros 40 minutos. Depois disso, o que se vê é um drama piegas que pouco acrescenta à filmografia do diretor.

Cinema

Hill Valley Telegraph: o jornal mais estranho do mundo

Quem notou foi o pessoal da New York Mag. O jornal da cidade de De Volta Para o Futuro seria um dos mais excêntricos do planeta caso a cidade dos McFly realmente existisse, capaz de dar manchete tanto para um prêmio cívico recebido por um ‘cientista local’ quanto para um veto aparentemente impossível por parte do presidente. Ou então dar destaque para o reconhecimento de um autor de ficção científica e deixar em segundo plano a busca pelo quinto mandato de Richard Nixon. Tudo espalhado na trilogia do Robert Zemeckis.

Lá no site da NYMag tem mais. Link veio do Matias.