Fido Nesti vence o Prêmio Eisner de melhor adaptação por 1984, quadrinização do clássico distópico de George Orwell

O quadrinista Fido Nesti venceu o Prêmio Eisner, na categoria de melhor adaptação, por 1984 (Companhia das Letras), quadrinização do clássico homônimo do escritor George Orwell. A vitória do autor brasileiro foi anunciada na madrugada de hoje, 23 de julho, durante a entrega dos troféus da premiação máxima da indústria norte-americana de quadrinhos, realizada em meio à convenção de cultura pop San Diego Comic Con. O brasileiro Mike Deodato também foi premiado durante a cerimônia, na categoria de melhor publicação de humor, por Nem Todo Robô (Comix Zone), parceria com o roteirista norte-americano Mark Russell. Deixo a seguir o link…

Papo com Fido Nesti, autor de 1984: “Me vi envolto em pelo menos três distopias: o próprio 1984, a pandemia e o governo brasileiro”

Entrevistei o quadrinista Fido Nesti para escrever sobre sua adaptação para quadrinhos do clássico 1984, do inglês George Orwell, recém-publicada pela editora Companhia das Letras. Transformei esse papo no texto da edição de dezembro de 2020 da minha coluna no site do Instituto Itaú Cultural. Reproduzo agora a íntegra da minha conversa com o autor. Chamo atenção no meu texto para as paginações blocadas do álbum, enrijecidas como a realidade retratada na HQ, assim como a paleta de cores sombria e o grande volume de texto – resposta à exigência dos herdeiros de Orwell pela maior fidelidade possível aos escritos…