Boyhood, por Kevin Tong

Já comentei por aqui como gosto dos pôsteres do Kevin Tong – sério, dá pra passar um tempão lá no site do artista. Aí que ele tá com uma obra na exposição dedicada à filmografia do Richard Linklater lá na galeria da Mondo em Austin. Dessa vez, o trabalho dele foi inspirado em Boyhood e ficou massa demais. O pessoal da Mondo tá librando aos poucos as artes em exposição, mas dá pra encontrar uma ou outra coisa bem fodas nuns sites especializados. Lá no OMG Posters tem umas peças que não vi mais em nenhum lugar ainda, vai lá ver.

Os filmes de Richard Linklater

Em 2013 entrevistei o jornalista Matt Zoller Seitz, autor do livro The Wes Anderson Collection e editor do site do Roger Ebert. Perguntei como ele achava que os filmes do Wes Anderson seriam lembrados daqui 50 anos. O raciocínio completo dele tá aqui, mas a resposta terminava assim: “Eu odiaria pensar nele como um daqueles diretores que apenas aos 99 anos ganha um Oscar honorário já numa cama de hospital e com um respirador”. Depois de Birdman deixar Boyhood e O Grande Budapest Hotel pra trás no Oscar, acho que aumenta bastante a tendência de isso acontecer, não só com…

Um guia para o Oscar 2015

Ninguém deve considerar um filme melhor ou pior por ter um Oscar ou não. Também não dou lá todo esse crédito pra premiação da Academia, assisto e acompanho o clima da festa por achar divertido. Lá no meio do ano passado, quando vi Boyhood pela primeira vez, já decretei que seria o melhor do ano e nada mudou pra mim. Birdman e Grand Hotel Budapeste são incríveis, mas Richard Linklater filmou sua obra-prima. Enfim, trabalhei na matéria de capa da edição de fevereiro da Monet, exatamente sobre o Oscar 2015, que rola sábado (22/02) a noite. Montei um infográfico comparando…

Boyhood, por George Lucas

Daqui alguns anos, quando Star Wars já estiver no episódio vinte e poucos, a trilogia filmada por George Lucas no final dos anos 90 e começo dos 2000 será lembrada apenas pelas boas piadas que gerou. Dentre as minhas preferidas, desde já, tá esse crossover com o Boyhood. Fenomenal:

Top 10 Vitralizado 2014: Boyhood

Após três anos escrevendo crítica de cinema, larguei o emprego e fui viver como freelancer, escrevendo sobre o que desse na telha. A melhor coisa dessa mudança de ares foi poder voltar ir ao cinema à paisana. Não me entenda mal: acho um tremendo privilégio trabalhar vendo filmes e escrevendo sobre eles. Ainda assim, a experiência é completamente diferente. Fico imensamente feliz de não ter precisado escrever sobre Boyhood a trabalho. A experiência criada por Richard Linklater é de pura contemplação e eu não conseguiria expressar sobre o filme muito mais além de clichês óbvios como “espetáculo visual” e outras…