Vitralizado

Posts com a tag Ex-Machina

Cinema / Destaque

Ava, Ultron e Chappie: 2015 será o ano dos robôs nos cinemas

Vi o trailer novo de Ex Machina e pensei como 2015 promete ser um ano memorável para robôs. Dirigido por Alex Garland – responsável pelos roteiros de Extermínio, Sunshine, Não Me Abandone Jamais e Dredd -, Ex Machina não tem data de estreia no Brasil, mas chega nos cinemas lá de fora em abril. Chappie estreia nos próximos dias nos Estados Unidos e em abril por aqui. Depois vem o Ultron quebrando tudo em Vingadores 2. Sem contar o retorno do T-101 do Schwarzenegger no promissor O Exterminador do Futuro: Gênesis, em julho. Só coisa boa. Ó esse trailer mais recente do Ex-Machine que mencionei, estrelado por dois membros do elenco de Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força, vale lembrar.

HQ

Y, o último volume

Acabei de comprar a última edição brasileira de Y: O Último Homem, a décima coletânea nacional da série mais aclamada do Brian K. Vaughan. O encadernado reúne as cinco edições finais das 60 que compõem a hq e chega no Brasil  quase cinco anos após o encerramento nos Estados Unidos. Ex-Machina também está previsto pra acabar ainda em novembro. Talvez junto com Leões de Bagdá são os título que fizeram a fama de Vaughan e levaram ele a assinar os roteiros de duas temporadas de Lost. Leitores brasileiros ficarão sem material do escritor por aqui com o fim das duas séries. A não ser que alguém resolva publicar Saga em português.

Y10

HQ

A Image renasce

Em 2012 a Image completou 20 anos deixando de lado a sina de editora meia-boca composta apenas por desenhistas ruins pra virar uma das empresas mais autorais do ramo. Tá rolando a Comic Con de Nova York e anunciaram que o Paul Pope vai produzir uma série pra editora, One Horse Trick. E acabou de sair o encadernado de Saga, coletânea das edições iniciais da série do Brian K. Vaughan com a Fiona Staples.

Essa tal mudança do perfil da editora não vem de hoje. Talvez tenha começado com o Robert Kirkman publicando Invencível e Walking Dead. Fatale, do Ed Brubaker com Sean Phillips também é digno de nota. Mas  Saga é o ponto alto dessa transformação. A revista é o primeiro trabalho do Brian K. Vaughan após sua temporada em Y, Ex-Machina e Lost. Mostra um casal de soldados de raças inimigas em em fuga e carregando uma criança recém-nascida durante uma guerra espacial. Teve gente lá fora definindo como uma mistura de Romeu e Julieta com Senhor dos Anéis e Star Wars.

Escrevi outro dia do Marvel Comics – The Untold Story e parece que algumas das partes mais divertidas do livro são da época da saída dos artistas que fundaram a Image. Pra quem não sabe, ela é fruto de uma rebelião de artistas insatisfeitos que trabalharam na Marvel entre o final dos anos 80 e começo dos 90. Os mais famosos talvez sejam Jim Lee, Todd MacFarlane e Rob Liefeld. Eles reivindicaram à presidência da Marvel controle criativo das revistas e participação nos lucros. Não rolou, deram o fora e a Image surgiu.

O início foi meio caótico. Cada autor tinha um selo próprio, os desenhos costumavam ser de péssimo gosto e os roteiros…, bem, não existiam roteiristas. Eram os ilustradores improvisando em títulos como Spawn, Savage Dragon, Witchblade e Youngblood. Mas vendia bastante e a série pertenciam aos criadores, como eles queriam na Marvel. Com o tempo, um pessoal saiu, alguns dos sócios venderam suas partes para outras editoras, mas a Image sobreviveu. O atual chefão da editora,  Eric Stephenson, deu uma entrevista e falou sobre os atuais princípios da Image e comparando com a linha de produção da Marvel e seus grande e intermináveis eventos como Avengers Vs X-men:

“Part of what we do is make good comics, and we want to be the best version of Image Comics. But part of what we do is create a sustainable market. It has to be a part of what we do. Things like Saga and Walking Dead andFatale, these are things that people want to return to. People can recommend these things to their friends, even people that don’t read comics. As opposed to tailchasing events, these yearly spike makers, but who’s going to be talking about AvX ten years from now?”

Promissor pra caramba. E a Image continua sem casa no Brasil.