Vitralizado

Posts por data abril 2018

HQ

5ª (19/4) é dia de lançamento da HQ de Raquel Vitorelo para a Série Postal

Aê, vamos pro segundo lançamento da Série Postal 2018! A quadrinista Raquel Vitorelo estará na loja da Ugra (Rua Augusta, 1371, loja 116), aqui em São Paulo, na próxima 5ª (19/4), a partir das 18h30, para um papo sobre a produção do trabalho dela para a coleção de quadrinhos em cartão postal do Vitralizado. Eu também estarei por lá pra essa conversa com a Raquel e o mediador desse encontro será o jornalista Carlos Neto, responsável pelo canal Papo Zine. Logo depois, rola uma sessão de autógrafos com a autora da HQ.

Você tem acompanhado os bastidores da produção desse segundo número da Série Postal 2018 lá na página do projeto? Tá beeeem legal, viu? A Raquel faz algumas reflexões muito interessantes sobre o uso do espaço do postal e do tema sobre o qual ela trata na obra. Acho esse papo na Ugra uma tremenda oportunidade de vê-la falando sobre isso tudo ao vivo. Você encontra outras informações sobre o lançamento lá na página do evento no Facebook. Vamos?

HQ

Gidalti Jr, vencedor do primeiro Jabuti na categoria Histórias em Quadrinhos, é censurado em exposição em Belém

O quadrinista Gidalti Jr, vencedor do primeiro prêmio Jabuti na categoria Histórias em Quadrinhos, foi censurado em exposição realizada na cidade de Belém e dedicada à história dos quadrinhos paraenses. A arte censurada pelos organizadores da mostra estampa a capa de Castanha do Pará, primeira HQ do autor e obra vencedora do Jabuti. A ilustração mostra o protagonista do quadrinho sendo perseguido por um policial militar. Pelo Facebook, Gidalti explicou que a arte foi considerada uma ofensa à Polícia Militar e por isso removida. O Vitralizado acompanhará o desenrolar da história e o post será atualizado à medida que novas informações sobre o assunto forem noticiadas. A seguir, o texto compartilhado pelo quadrinista no Facebook relatando o ocorrido:

[post atualizado, 16/4, 17h16: o jornalista Tiago Rogero, do jornal O Globo, conversou com o quadrinista Gidalti Jr e deu mais detalhes sobre a censura. A matéria está disponível aqui.]

[post atualizado, 16/4, 21h5: eu escrevi sobre o ocorrido em uma matéria publicada no site do jornal O Globo. Conversei com Gidalti Jr, com o curador da exposição e com os assessores do shopping. A matéria está disponível aqui.]

“Sobre censura à capa de meu livro em exposição em Belém, gostaria de declarar total repúdio aos conceitos arbitrários que classificaram a imagem como uma ofensa à polícia militar. A retirada da obra do evento é um gesto que vai contra valores fundamentais que defendo, dentre estes, a liberdade de expressão. A obra é ficcional, tem caráter lúdico e expõem situações rotineiras nas metrópoles brasileiras. Quem a compreendeu como apologia ao crime e/ou a desmoralização da polícia militar, o faz de forma leviana e sem ao menos ler o livro “Castanha do Pará”. A retirada da imagem da exposição é uma vitória parcial da ignorância, do medo e de forças antagônicas à liberdade”

A capa de Castanha do Pará, álbum vencedor do Prêmio Jabuti na categoria Histórias em Quadrinhos, censurada em exposição em Belém

HQ

4ª (18/4) é dia de lançamento de O Idiota, a nova HQ de André Diniz, em SP

Você já leu a minha resenha sobre a adaptação do André Diniz para O Idiota, do Fiódor Dostoiévski? Gosto principalmente das limitações textuais autoimpostas pelo autor e da independência da HQ em relação à obra original. Por isso tudo, recomendo um pulo no evento de lançamento do quadrinho aqui em São Paulo, marcado para a próxima 4ª (18/4), a partir das 19h, na Livraria Martins Fontes, no número 509 da Avenida Paulista. Nos vemos por lá?

HQ

Daniel Clowes, por Woody Harrelson

Taí um título ligeiramente clickbait do Vitralizado… O vídeo mais abaixo não é uma produção do Woody Harrelson, mas só narrado por ele. Trata-se de um belo trabalho do pessoal do Great Big Story contando um pouco da vida e dos feitos do quadrinista Daniel Clowes. No caso, sim, a narração é do Woody Harrelson, intérprete de Wilson na adaptação para o cinema da HQ homônima de autoria de Clowes, o que dá todo um charme pra coisa, né? Enfim, bem bom. Dá o play:

HQ

Vitralizado Recomenda #0022: A Vida É Boa, Se Você Não Fraquejar (Mino), por Seth

Ainda devo escrever um pouco mais sobre A Vida É Boa, Se Você Não Fraquejar (Mino) por aqui, mas me adianto para recomendar que você corra atrás dessa HQ o quanto antes. O álbum do canadense Seth é uma das publicações mais inesperadas e importantes de 2018 no Brasil. Inesperada por ser um trabalho antigo do autor, ainda de seu começo de carreira e ganha edição em português sem nenhum gancho específico que justifique a publicação nesse momento – além da própria excelência da HQ. Importante por ser uma das principais obras de uma das gerações mais prolíficas de artistas norte-americanos com publicações autorais/pessoais encabeçada por gênios como Chris Ware, Chester Brown, Daniel Clowes, Charles Burns e o próprio Seth.

A Vida É Boa, Se Você Não Fraquejar é um relato parcialmente autobiográfico no qual Seth relata sua busca por informações sobre o cartunista Kalo. A edição da Mino tá bem bonita e a tradução de Dandara Palankof adapta muito bem o ótimo texto original pro português. Sério, deixa passar esse não. E aproveito pra voltar a recomendar o também excelente Wimbledon Green, publicado por aqui em 2014 pela Bolha. Ambas as obras muito fora da curva.

HQ

Tom Gauld e os sons da primavera na capa da New Yorker

Bem boa a sacada do Tom Gauld pra capa da mais recente edição da revista New Yorker. O quadrinista inglês explicou no Twitter ter sido chamado pra produzir uma arte inspirada na chegada da primavera. Daí que o resultado é essa versão “muda” da capa que você confere aqui em cima e uma com trilha sonora, disponível apenas no site da revista. Lá na página da New Yorker o autor explica que teve a ideia da obra enquanto assistia à aula de violino da filha e escutava, ao mesmo tempo, pássaros cantando na rua. Então ele decidiu adaptar essa ideia para uma arte utilizando notas musicais em balões de fala. Vale muito um pulo no site da New Yorker pra conferir a versão sonora da capa.