Vitralizado

HQ

Giovanna Cianelli, Paula Puiupo e o projeto gráfico de A Ilha do Tesouro

A designer e ilustradora Giovanna Cianelli assina o projeto gráfico de algumas das minhas publicações preferidas de 2019. Ela foi a responsável por pensar o visual de três lançamentos recentes da editora Pipoca & Nanquim (Sob o Solo, Gastaria Tudo com Pizza e A Floresta das Árvores Retorcidas), é dela o projeto de várias das belíssimas edições da Aleph nesse ano (incluindo parcerias com Rafael Coutinho e Marcela Cantuária e as artes matadoras da nova edição de Laranja Mecânica) e também coube a ela pensar os projetos gráficos da editora Antofágica. Também teve o cartaz de sete anos do Vitralizado, mas esse eu sou suspeito pra comentar.

Pela Antofágica, alguns meses após trabalhar com Lourenço Mutarelli na nova edição de A Metamorfose, de Franz Kafka, Cianelli voltou a trabalhar com uma quadrinista em A Ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson. A publicação conta com várias ilustrações de Paula Puiupo – que também já colaborou aqui com o blog assinando a oitava edição da Série Postal.

Ainda tô no meio da leitura dessa nova edição de A Ilha do Tesouro, mas tô curtindo um monte os conceitos explorados por Cianelli e a equipe da Antofágica com as ilustrações da Paula Puiupo. Pedi pra Giovanna Cianelli um pouco de bastidores desse projeto e ela enviou as as imagens e os comentários a seguir, contando o ponto de partida e o desenvolvimento da publicação. Ó que massa:

“Sobre as ilustras: produzimos um video com a Puiupo em que ela fala sobre o processo. Não sei se você chegou a ver:

“O lance de o Dani [Daniel Lameira, editor da Antofágica] ter escolhido a Paula para ilustrar esse livro e fugir do óbvio piratesco é, pra mim, um dos grandes méritos dessa edição. Essa escolha foi consciente, ele buscou e pediu pra ela explorar essa psicodelia das imagens. A referência que o Dani curtiu e pediu para ela explorar foi essa:

“Primeiro, ela nos enviou umas imagens preto e branco (que eu já achei incrível, mesmo sem cor):

E outras já encaminhadas com o pastel:

“Essa foi a primeira imagem finalizada que ela enviou:

“Sobre o projeto gráfico, eu não queria ir pro piratesco clássico também, então procurei coisas luxuosas do século XVIII e XIX. Uma das fontes é inspirada no lettering do Casino Monte-Carlo de Mônaco. Mando algumas fotos desse cassino:

“A Antofágica tem esse lance de misturar o clássico com o contemporâneo, pra constrastar com essa fonte super antiga, escolhi a Avara que é uma fonte open source da froundy francesa Velvetyne.

Nas páginas iniciais e finais usei um degradê vermelho, pensando em queimaduras de sol (bem abstrato aqui rs). As fontes da capa foram redesenhadas a partir de embalagens antigas de whisky. 

Várias das interferências que foram feitas na diagramação do livro foram colaborações da Barbara Prince, que coordenou a edição, e do  Leonardo Ortiz, que fez a diagramação. É um livro cheio de detalhes e que fizemos com muito carinho!”

A capa de A Ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson, em edição da Antofágica

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: