Vitralizado

Cinema / HQ / Marvel

O retorno do Homem-Aranha à Marvel e a identidade secreta que o herói jamais terá no cinema

Então a Marvel e a Sony realmente fizeram um acordo pra entrada do Homem-Aranha no Universo Marvel no cinema. Isso é tipo ver o Zico voltar a jogar pelo Flamengo e o Pelé pelo Santos – com ambos ainda com contratos presos a outros times, mas tudo bem, seria uma volta para casa, ao lugar de onde jamais deveriam ter saído. Só gostaria muito que a Sony largasse a mão de ideias tortas como essa história de filme do Sexteto Sinistro. Já Andrew Garfield não deve voltar mesmo, apesar de eu considerar o ator e o elenco de seus dois filmes um dos poucos pontos altos da série mais recente da Sony. Quer saber? Por mim Marvel e Sony quebravam tudo: pra rebootar outra vez em um intervalo tão curto de tempo, eu colocaria a versão ultimate, adolescente e negra do Homem-Aranha no lugar do Peter Parker. Duvido que role, mas ia char demais se o herói fosse Miles Morales no lugar do sobrinho da tia May. E parece que não sou o único…no Twitter o alter-ego ultimate do herói já virou trending topic assim que a parceria Marvel/Sony foi anunciada. Logo depois, em seu Tumblr, o criador da versão ultimate do Aranha, Brian Bendis, respondeu um fã que perguntou o quão empolgado ele estava com o nome de Miles bombando na internet. Ele apenas postou uma foto dos outros dois co-autores do personagem, os ilustradores Sara Pichelli e David Marquez. Reitero: duvido que Marvel e Sony tenham coragem pra abandonar a identidade mais famosa do Homem-Aranha no cinema, mas que ia ser demais, ia sim, viu?

Uma atualizada rápida. No caminho de casa até o trabalho fiquei pensando em algumas consequências desse acordo e a presença do Aranha nos filmes da Marvel Studios. Primeiro: caso ele realmente apareça em Guerra Civil, não acho que será da mesma forma que sua participação nos quadrinhos. Seja qual for a identidade do herói, ele não vai se expor e tornar público seu nome como aconteceu na história de Mark Millar. Imagino que ele será – aí sim, como na série – um dos principais pontos da discórdia entre Capitão América e Homem de Ferro, com ambos lutando por seu apoio. Já em relação a sua real importância nos futuros planos da Marvel nos cinema, fico muito curioso pra saber a intensidade desse contrato. O personagem tinha tudo pra ser um Agente Coulson bombado das próximas fases da série, aparecendo em vários filmes e com potencial para crescer e ser o grande destaque do futuro da versão cinematográfica da Marvel. No entanto, no cinema, o personagem é da Sony. O contrato é um parceria. Até onde vale a pena investir em um herói que pertence de forma restrita a você? Aguardo ansioso as cenas dos próximos capítulos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: